Tem sido cada vez mais comum ver pessoas e empresas fazendo todo tipo de ação para captar e-mails. Desde a distribuição de ebooks até mesmo a “conferências”  online. Mas uma rápida análise mostra que isso, na maioria das vezes, não passa de perca de tempo e dinheiro.

Pare agora de captar e-mails

Um paradoxo

Criar uma estrutura para capturar estes e-mails demanda um certo tempo. Existem ferramentas gratuitas no mercado que entregam um produto praticamente pronto. Mas ainda assim existe a necessidade de se configurar algo. Não gasta dinheiro – em tese – mas demanda dedicação e tempo. A menos que você contrate algum especialista para criar suas páginas de captura – e isso tem um preço – você vai investir um bom tempo nisso. E como sabemos, tempo é dinheiro! Parece até um grande paradoxo.

Além disso, ainda tem a questão de manter toda essa estrutura, por menor que seja. Ao final você vai conseguir uma centena de e-mails ou talvez alguns milhares deles. Mas, depois de todo esse tempo e dinheiro investido, estes “leads” são qualificados? Ou seja, sua lista é composta de pessoas realmente interessadas nos seus produtos ou serviços?

Após captar os e-mails, ainda tem a missão de criar e enviar suas mensagens. Sim, é possível automatizar este processo, mas ainda assim você precisou de fazer algo em algum momento.

Quer um exemplo?

Vamos simular uma situação, bastante hipotética. Você trabalha com treinamento para pessoas que tem uma lhama como bicho de estimação. Você fez um excelente trabalho e captou 2 mil e-mails. É um número considerável. Para isso você criou – e distribuiu – um ebook. Para baixar o livro virtual as pessoas precisavam cadastrar seu e-mail.

Agora, com esta lista você começa a desenvolver um “relacionamento”. Envia pelo menos uma vez na semana dicas e informações pertinentes ao assunto. Até aqui tudo bem. Tudo bem?

Do número acima, pelo menos 20% solicitam remoção da sua lista de imediato. Este é um número bastante conservador, afinal as pessoas só queriam seu ebook. Nada mais. Sobraram 1600 emails. No decorrer das semanas algumas pessoas se incomodam com a frequência dos seus envios e optam por sair de sua lista. Vamos acreditar que, ao final de 4 semanas, você tenha ficado com mil registros. Ainda é um bom número!

Então chegou a hora de fazer uma “oferta matadora”. Das mil pessoas que sobraram, quantas de fato estariam interessadas em sua proposta? Não é possível medir pois cada situação tem suas particularidades. Vamos acreditar que 10% das pessoas aceitam sua proposta e adquirem seu treinamento. Ao final das contas você investiu um bom tempo e também dinheiro para conseguir alcançar somente 5% daquela lista inicial. Vale a pena? Depende!

Será que vale a pena? O ROI tem a resposta!

Quem tem que fazer esta análise é você. Coloque em uma planilha todos os custos envolvidos nesta operação e ao final veja quanto faturou. Com isso é possível medir seu retorno sobre o investimento (ROI). Lembre-se que para chegar ao número de 2 mil cadastros você teve que impulsionar postagens, patrocinar links, investir em SEO, etc.

Além de todo custo, ainda tem o risco de manchar sua imagem. Se seu conteúdo enviado pelos e-mails não for relevante o suficiente, se sua frequência de envio for muito alta ou outros fatores influenciarem de forma negativa, você pode perder até credibilidade diante de seu público. E credibilidade é algo que não tem preço.

Se você já trabalhar desta maneira, faça as contas e veja se tem compensado. Se está pensando em trabalhar com captura de e-mails, analise bem seu mercado e suas estratégias. Pode dar certo, mas as chances de jogar dinheiro fora são muito grandes.

Quer desenvolver e executar estratégias eficientes, que elevam o patamar dos seus negócios? Conte com a Ionn! Entre em contato com a gente e veja como podemos te ajudar.

Curta e compartilhe: